Vinhos

Histórias de vinhos e bebidas licorosas. Mitos e verdades desta bebida alcoólica. Rankings e críticas de vinhos.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Nesta lista, 45 vinhos são franceses, dois vêm dos EUA, um é alemão e um é australiano. De fora, ficaram os vinhos italianos e espanhóisrolha champanhe

O Vinho do Porto Quinta do Noval Nacional surge em 47.º lugar no top 50 dos vinhos mais caros do mundo, elaborado pelo motor de busca Wine-Searcher, com o preço de 710 euros.

Desta casa saiu, em março deste ano, o Porto Quinta do Noval Vintage Nacional 2003 considerado o melhor vinho do mundo.

Selecionado entre mais de oito mil vinhos de todo o mundo por Luca Gardini, o melhor sommelier do mundo em 2010, este vinho ganhou pela "extrema elegância e personalidade que respeita tradição".

Ver aqui filme de apresentação do vinho.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Dois vinhos portugueses, um moscatel e um vinho verde, foram hoje distinguidos em Londres na entrega de prémios da revista Decanter, uma daschampanhe mais reputadas publicações especializadas.

 

O Moscatel de Setúbal 2007 da Quinta da Bacalhôa ganhou na categoria de vinho fortificado doce a menos de 10 libras (13 euros), enquanto o Deu La Deu, Vinho Verde Alvarinho de 2010 produzido pela Adega Cooperativa de Monção, venceu na categoria de casta única a mais de 10 libras.

 

Os Prémios de Vinho da Decanter, revista que existe desde 1975, são uma das maiores competições mundiais e realiza-se em Londres desde 2004, sendo os vinhos julgados por com um painel de mais de 200 especialistas, por categorias de região e de preço.

 

As provas são cegas, sendo as medalhas de prata testadas duas vezes e os restantes até quatro vezes.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

Chama-se 50 Great Portuguese Wine e é uma lista com meia centena de nomes de vinhos portugueses: 27 tintos, 18 brancos, umgp 070700402-W250 espumante e outros quatro vinhos fortificados.

A escolha é resultado de nove meses de provas feitas por Julia Harding, Master of Wine (o maior grau de formação de um especialista de vinhos) e assistente de Jancis Robinson, jornalista e crítica de vinhos do jornal The Financial Times.

A lista dos 50 melhores vinhos nacionais foi apresentada em Londres a 15 de junho. Julia confessa que o resultado das provas é "apenas a ponta do iceberg".

"Se eu fiz bem o meu trabalho, estes 50 vinhos representam a profundidade e a amplitude do notável mundo do vinho em Portugal. A sinergia de variedades de uvas nativas e de alta qualidade com a marcante paisagem e clima do país estão a ser criativamente expressas pelos seus viticultores que trabalham de forma dura e imaginativa.", afirma.

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

O trabalho de seleccionar vinhos não é nem fácil nem óbvio, para mais com um espaço muitomini_bar limitado. O que aqui se pretendeu foi mostrar um pouco do panorama nacional e tentando abranger diferentes tipos de vinho. O resultado é forçosamente injusto, seja qual for o critério.

No Dão, que aqui não está representado, poderia estar o Picos do Couto Grande Escolha 2007. Num país de vinhos generosos, fica de fora o moscatel de Setúbal, como o José Maria Fonseca Moscatel Roxo 20 anos. De fora fica também a Madeira, que tantos e bons vinhos produz, como um Barbeito Malvasia 20 anos. A lista seria interminável... Não há listagens perfeitas.