Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

O trabalho de seleccionar vinhos não é nem fácil nem óbvio, para mais com um espaço muitomini_bar limitado. O que aqui se pretendeu foi mostrar um pouco do panorama nacional e tentando abranger diferentes tipos de vinho. O resultado é forçosamente injusto, seja qual for o critério.

No Dão, que aqui não está representado, poderia estar o Picos do Couto Grande Escolha 2007. Num país de vinhos generosos, fica de fora o moscatel de Setúbal, como o José Maria Fonseca Moscatel Roxo 20 anos. De fora fica também a Madeira, que tantos e bons vinhos produz, como um Barbeito Malvasia 20 anos. A lista seria interminável... Não há listagens perfeitas.



DUET Baga & Bical de 2010
Os espumantes são quase sempre associados a passagens de ano e a leitão, o que tem lógica. A mudança do ano inspira e a borbulhagem destes vinhos é claramente festiva. Com o leitão, a fonte é a Bairrada, onde se percebeu que a acidez corta bem a gordura da carne. Todavia, há um dito que refere que quando não se sabe que vinho abrir, que seja um espumante, pois vai bem com tudo. Vai bem como aperitivo e como sobremesa. Este Duet está no lote do que de melhor se faz em Portugal, e o preço é moderado. É um vinho elegante e desafiador, com percepção de boa frescura.
Tipo: Espumante
Região: Bairrada
Produtor: Luís Pato
Preço: 10€

Muros de Antigos Alvarinho 2010
A casta alvarinho está na moda e o enólogo e produtor Anselmo Mendes é dos que melhor o sabem fazer. Aliás, este técnico tem assinado vários ícones portugueses o que, só por si, é já garantia de alguma coisa, no que à qualidade respeita. A alvarinho tem o seu berço na subregião de Monção e Melgaço. Quem provar outros alvarinhos doutras regiões perceberá a diferença. Neste caso, o carácter do solo e do clima estão bem expressos no resultado final.
Tipo: Branco
Região: Vinho Verde
Produtor: Anselmo Mendes
Preço: 9€

Três Bagos SauvignonBlanc 2010
O cultivo de castas estrangeiras no Douro arrepia muitas pessoas, mas um vinho de classe tem sempre lugar numa mesa. A sauvignon blanc é uma das mais internacionais castas. O Verão está a passar, mas Portugal pode gabar-se do clima e do pescado. Por isso,
é ainda tempo de sugerir para refeições de peixe e marisco. As uvas provêem de videiras com idades entre os 25 e os 30 anos, plantadas na Quinta de Mateus, em Vila Real.
Tipo: Branco
Região: Regional Duriense
Produtor: Lavradores de Feitoria
Preço: 8,5€

Quinta das Bágeiras Garrafeira Branco 2009
Para quem gosta de comprar com boa relação entre a qualidade e o preço tem, neste vinho, o que deseja. O preço, de gama média, esconde um néctar que lhe está acima. Garantia de qualidade foi dada ao produtor pela revista Wine Spirits, que colocou a casa no top 100 mundial.
Tipo: Branco
Região: Bairrada
Produtor: Quinta das Bágeiras
Preço: 12,5€

Torre do Frade Viognier 2010
A casta viognier é outra natural do Ródano que se está a dar bem por Portugal. Neste caso pelo Alentejo. É um branco alentejano diferente, nada pesado ou quente. Todavia, não é um exemplo da leveza que se pede para a esplanada. Para ser correcto, é um vinho com frescura e bom sentido gastronómico.
Tipo: Branco
Região: Regional Alentejano
Produtor: Torre do Frade
Preço: 19€

Maritávora Branco Reserva 2009
A Quinta de Maritávora situa-se em pleno Douro Superior, junto ao Parque Natural do Douro Internacional, em Freixo de Espada-à-Cinta. Diz o proprietário que ali só vai quem quer, ninguém chega enganado, pois não há, por aquelas estradas, outra direcção. O solo da quinta é de xisto impressionante, com partes agrestes à vista. Essa situação molda bastante o carácter deste vinho, rico em notas minerais. É um vinho rico e complexo, com frescura e corpo, com longo final de boca. As uvas vêm duma vinha com mais de um século. Assim, dá-se a situação tradicional da mistura de castas. No entanto, conseguem-se identificar com clareza e em número as variedades códega do Larinho, rabigato e viosinho.
Tipo: Branco
Região: Douro
Produtor: Quinta de Maritávora
Preço: 27,50€

Taylor´s Vintage 2009
É um Porto assinalável em quase todos os aspectos. Das notas aromáticas às percepções na boca. Uma característica notável é a promessa de longevidade, tal como se exige a todos os Vintage, mas que nem sempre atingem em esplendor. Este promete alegrias futuras. É um vinho com preço considerável. Mas quem queira investir em vinho este néctar é uma boa escolha.
Tipo: Generoso
Região: Vinho do Porto
Produtor: Taylor's
Preço: 74€

Qta. Foz de Arouce Vinhas Velhas de Sta. Maria 2007
Tivesse nascido no Douro ou no Alentejo e o preço seria outro. Não é que 40 euros sejam coisa pouca, mas que este vinho está no grupo dos grandes de Portugal. A região das Beiras tem na Bairrada e no Dão os seus pontos mais elevados de fama. Na primeira reinou a casta baga, que parece que é originária do outro território. Este vinho, não sendo nem uma coisa nem outra, faz-se precisamente com essa casta um pouco esquecida e injustiçada. Na propriedade sempre se cultivou baga. Recentemente, foi plantada uma vinha com touriga nacional, que compõe o lote para o colheita.
Tipo: Tinto
Região: Regional Beiras
Produtor: Quinta de Foz de Arouce
Preço: 43€

CARM CM 2007
É substancial, altamente gastronómico, muito recomendável para as refeições de festa nos dias mais frio. Proveniente de vinhas no Douro Superior, de Foz Côa, a maior parte do lote é proveniente de uvas da casta touriga nacional (90%). As partes restantes cabem a touriga franca e a tinta roriz. As uvas foram esmagadas em lagar, onde pré-fermentaram. O processo seguiu para cubas largas e estagiou 36 meses em barricas de carvalho francês.
Tipo: Tinto
Região: Douro
Produtor: CARM - Casa Agrícola Reboredo Madeira
Preço: 40€

Syrah 24 2007
José Bento dos Santos é broker de metais, mas tem sido a gastronomia que lhe tem dado a notoriedade. Admirador dos vinhos das Côtes du Rhône, plantou na sua quinta perto de Alenquer sirah e viognier. Este tinto tem o nome duma parcela da propriedade (a número 24), cujas varas de videira foram tiradas de vinhas em Hermitage, Côte-Rôtie e Saint-Joseph, pertença de reputados produtores do Ródano. O vinho estagiou metade em barricas novas de carvalho francês e outra parte madeira de segundo ano, durante 18 meses. É rico e complexo de aromas, que vão desde os achocolatados às especiarias ou à ginja. Na boca é muito elegante e aveludado, permanecendo longamente no palato.
Tipo: Tinto
Região: Regional Lisboa
Produtor: Quinta do Monte d'Oiro
Preço: 45€

Herdade do Esporão PV 2008
A casta petit verdot, natural do Sudoeste de França, tem vindo a ser recuperada, depois de anos de esquecimento, nomeadamente no Médoc. Ganhou nos últimos anos estatuto de grande casta internacional, pelo que é natural que tenha sido notada pelos lavradores portugueses. As experiências desenvolvidas no Alentejo deram bons resultados e vários produtores têm apresentado os seus vinhos estremes desta casta bordalesa.
Tipo: Tinto
Região: Regional Alentejano
Produtor: Esporão
Preço: 22€

Quinta da Gaivosa 12 Vinha de Lordelo 2007
A Quinta da Gaivosa tornou-se incontornável no roteiro enófilo duriense. A vinha de Lordelo é uma parcela que nela se evidencia. É um vinho que só sai em anos excepcionais e, como tal, é grande a expectativa. O lote deste vinho é composto tinta amarela (trincadeira preta), sousão, touriga nacional, entre outras... porque nas vinhas velhas a tradição era a de ter tudo misturado. Neste caso, a vinha tem mais de 100 anos.
Tipo: Tinto
Região: Douro
Produtor: Domingos Alves de Sousa
Preço: 50€

Fonte: Económico