Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Doze horas diárias, onze dias seguidos. O Pátio da Galé, em Lisboa, prepara-se para receber mais uma edição do Peixe em Lisboa. Este ano, há novidades.gp 070205102-W250

Joan Roca e Quique Dacosta, três estrelas Michelin na 2ª e 41ª posições no The World's 50 Best Restaurants, regressam a Lisboa para celebrarem peixes e mariscos do mar português em sessões de cozinha ao vivo. Os dois nomes são apenas alguns dos que passarão pelo evento, que vai na 8ª edição.

O chef argentino Mauro Colagreco, o brasileiro Rafael Costa e Silva - do restaurante Lasai, no Rio de Janeiro, e os chefs portugueses Vitor Sobral, Pedro Lemos, Leonel Pereira, são outros dos nomes que participarão.

Este ano, a lista de restaurantes que participam no Peixe em Lisboa também conta com novidades: Las Ficheras, Kiko Martins, Pap'Açorda, Sushi Café e Taberna das Flores & Flores Bairro Alto (chef André Magalhães) fazem a partir deste ano companhia ao Arola by Penha Longa, José Avillez, O Nobre/Nobre Estoril, Ribamar e Vitor Sobral.

Em 2014, mais de 26 mil visitantes marcaram presença no evento, o que representa um crescimento de mais de 7% face à edição anterior. O espaço onde decorre o evento tem capacidade para 526 lugares sentados.

A entrada para um dia custa 15 euros. O bilhete para cinco pessoas custa 60 euros. Saiba mais aqui. Veja aqui o programa completo do evento.

Nem tudo é peixe

O evento servirá também para o lançamento dos projetos "As espécies mais populares do mar de Portugal" e "Mr.Good Fish", ambos em colaboração com a Ciência Viva.

Tal como em edições anteriores, o Peixe em Lisboa integra também a prova "O melhor pastel de nata". Da pré-seleção sairão 15 finalistas que disputarão a final. No ano passado, o pastel de mata da Pastelaria Alcoa saiu vencedor do concurso. As pastelarias interessadas em concorrer deverão enviar os dados para Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar. até 26 de março.

Fonte: Dinheiro Vivo